24 de jan de 2012

[sad-fic] O circulo de Amigos


Hoje eu vou traduzir uma das minhas sad-fics favoritas. ela é bem pequena(deve ser por isso que é a minha favorita) então voces não devem demorar muito para ler ela


O CIRCULO DE AMIGOS





Dusky Rose atravessou o portal para a varanda onde sua senhora estava em silêncio meditativo, olhando para as estrelas. A lua estava bem até agora, e abaixo deles ela podia ver Equestria banhada em um silêncio de prata. Ela fez uma reverência. "Uma bela noite, minha senhora."
 Princes Twilight inclinou a cabeça para o céu noturno, olhando-a criticamente. "Não é ruim," ela admitiu. "Um pouco tranquilo.Eu até entendo que seja inverno Inverno, mas de alguma forma eu sempre me sinto mais viva nas noites de verão." Ela se virou para sua jovem aluna, e sorriu um pouco. "Ainda assim, é uma boa noite."

O pônei jovem moveu-se para a borda da varanda, e olhou a paisagem. "Eu adoro noites de verão", ela sorriu. "Quando eu era jovem, meus amigos e eu gostavamos de correr, perseguindo os vaga-lumes e jogar jogos até ficar escuro demais para ver. Era sempre agradável e quente, e nossos pais costumavam visitar uns aos outros ..." Ela suspirou, e se perdeu lentamente em uma nuvem de veludo da memória.
A princesa concordou. "Ah, sim. Lembro-me como foi para mim também. Claro, eu não brinquei tanto quanto uma criança, estava envolvida em meus estudos e assim por diante. Mas em Ponyville ..." Ela esticou o pescoço, olhando a paisagem a sua frente, então ela estreitou os olhos, ela só poderia fazer-se acreditar que ela podia ver as formas familiares de sua antiga casa. "Eu me lembro dos cafés ao ar livre, danças de Verão, que nós compartilhamos ..."
Por um tempo, houve um silêncio. Então o mais jovem dos dois se moveu para mais perto. "Você ainda pensa nelas muito, não é, princesa?"
Twilight assentiu. "Oh, sempre. Elas foram as primeiras amigas de verdade que eu tinha, você sabe. Antes disso, eu sempre fui uma estudiosa solitária, escrava afastada em meus livros. Foi Celestia que me enviou a elas, você sabe. Ela sentiu que eu precisava aprender algumas coisas sobre amizade. " Ela riu um pouco. "E de fato eu fiz, apesar de ser Celestia ela teve outro motivo em mente também." Ela sorriu para sua aluna. "Mas foi o melhor, e devo dizer que foi o momento mais maravilhoso da minha vida."
Eles observavam as estrelas em silêncio. Então: "Milady?"
"Sim, Dusky?"
"Se você as amava tanto, por que não conceder-lhes a imortalidade? Parece-me que se eu tivesse o dom, eu certamente -"
"Ah, meu aluno . Oh, sim.A Cada uma delas. E que cada uma viveu, desde que seu coração desejasse e nem menos. ... Aqueles foram dias bons, também."
O pônei jovem inclinou a cabeça em surpresa. "Você quer dizer ... você deu-lhes a imortalidade, quer dizer que elas morreram de bom grado, afinal? Mas por que, senhora? Se eu tivesse a imortalidade eu nunca desistiria dela, para nada!"
A princesa riu suavemente. "Fácil de dizer isso agora. Mas você é jovem, ea vida se estende diante de você. Quando você tem sido vivo por tanto tempo como eu, o tempo tende a ficar pesado. Enfrenta Muitas perdas. Toda a familiaridade dá lugar ao desconhecido. A mundo se move, e você ainda está lá. Não há muitos que podem demorar mais do que algumas centenas de anos, realmente. "
Twilight mudou sua postura, olhando para trás para o céu. "Eu me lembro Pinkie foi a primeira a ir. Um dia ela anunciou que queria" ver como era ", e lá foi ela." Ela riu para si mesma. "Mas era apenas a Pinkie de sempre."
"Então Rainbow dash e Apple Jack. Oh, essas duas ..." Ela fechou os olhos, sorrindo para a memória. "'Uma última aventura," elas disseram. Ainda parece que estão juntas juntos sob o dossel, com olhares fixos uma na outra, as palavras que elas disseram em seus últimos suspiros ... "
Ela suspirou. "Foi muito bonito, realmente. A ligação entre elas." Ela olhou para baixo.Sua voz, quando voltou, era um sussurro. "Às vezes, eu as invejo muito."
"Serio Senhoria?" O mais jovem pônei piscou. "Você faz parecer como se elas fossem ..."
"Bem, é claro que elas eram, a minha menina. Quem você acha que presidiu em seu casamento?"
"Mas ... bem, todas as histórias que você contou sobre elas! Elas sempre soaram como se elas fossem rivais!"
O pônei mais velho riu. "É! Sempre." Ela balançou a cabeça. "Aquelas duas, sempre brigando entre si. É incrível que não tenham ido juntas." Ela piscou para . "Deus sabe, o resto de nós fazia."
Dusky assentiu. "Entendo, romance feminino. E os outros?"
"Oh, todos eles foram, cada um em seu próprio tempo. Eles não poderiam viver para sempre, mas eu dei-lhes o tempo todo neste mundo que eles desejaram. Admito que sinto falta deles, e é difícil estar em um mundo sem eles , mas eu não trocaria os momentos que tivemos por nada. "
O mais jovem pônei pensou sobre isso por um tempo. "Ainda assim," ela disse, "Parece muito triste. Quero dizer, estar tão perto por tanto tempo e depois perdê-los todos ..."
Twilight assentiu. "É verdade, é Mas:.." Ela sorriu e se virou para a menina, dando-lhe um sorriso . "Naqueles dias, eu aprendi a importância de formar ligações entre pôneis. E embora seja verdade que uma princesa não ser muito amigavel, posso dizer que nunca no meu tempo aqui fiquei sozinha."
Dusky suspirou, abaixando as orelhas um pouco. "Eu gostaria de entender melhor, Senhoria."
A princesa sorriu. "Você vai." Ela passou o casco na crina da menina."Em breve, minha aluna mais fiél, o tempo virá quando eu perceber que voce encontrou os seus caminhos. Neste momento, creio eu, você vai descobrir muitas verdades grandes e maravilhosas sobre amizade. Mas permitam-me dar-lhe a primeira lição agora. "
"É o seguinte: que todas as coisas acabam no decorrer do tempo, que para sempre não existe Que todo Olá contém dentro de si tem um eco de Adeus Que para cada pessoa que você chegou a conhecer em sua jornada pela vida, não importa.. quanto tempo você conhecê-los, haverá sempre um dia em que você vai vê-los pela última vez. E ainda ... "
"E ainda assim ... é tudo vale a pena." A princesa olhou para trás para as estrelas, a luz da lua refletindo em seus olhos. "O tempo entre a Olá e Adeus, se você preenchê-lo corretamente, vai sustentá-lo através de todos os seus dias. Cada momento compartilhado, cada riso, cada pedaço precioso de tempo gasto com alguém que você cuida é um tesouro, a ser guardado para sempre. "
Ela permitiu-se um pequeno sorriso. "Algum dia, e esse dia irá chegar, irei renunciar como Luna fez, e abrir mão de meu fardo para um sucessor digno. Quando esse dia chegar, vou me juntar aos meus amigos onde quer que sua jornada o tenha levado eles, isso eu tenho certeza. "
O mais jovem pônei estremeceu. "Por favor, Senhoria," ela sussurrou. "Eu não gosto de ouvi-la falar de tais coisas."
"E por que não?" Ela afagou a menina tranquilizando-a. "Esse é o caminho do mundo. Nascemos e morremos. O que poderia ser mais natural? E no tempo entre esses dois, nós fazemos o que podemos." Ela sorriu suavemente. "E então: de que você estava precisando?"
"Oh! Sim!" A menina remexeu em seu alforje, por um momento, então recuperado um pedaço de papel. "Lady Cloudwhirl disse para lhe dizer que eles deveriam ter uma tempestade sobre o cume de amanhã Paddock, mas eles estão bem no meio da temporada da queda das folhas. Ela diz que se o pegasus continuarem, todos os nossos boletos de feno serão molhados. "
"Sério? Querida, Vá ver Spike, ele deve resolver o problema. Mas vá rapido, agora."
Princesa Twilight olhava o galope dos jovens de volta saindo do palácio com seu recado, em seguida, voltou a olhar para o céu. "O início foi particularmente perfeito" observou ela." Talvez ...

Ela se focou em uma constelação O Grande Mare, seguiu a linha de sua cauda para baixo da asa de Aeon passada. Lá, um pouco acima do horizonte, um pequeno grupo de estrelas, facilmente invisivel para qualquer um que não estivesse olhando para elas. Cinco estrelas formando um círculo áspero, e no topo um espaço, apenas espaço para mais um. Ela se permitiu um sorriso. Orbis Amicitia. O círculo de amigos.
"Oh, sim", ela sussurrou. "Fazemos o que podemos."
A princesa se virou, e voltou para o palácio. O Mare na Lua continuou sua jornada através do céu ébano. E em um canto desprezado do céu, cinco amigos dançavam e brilhavam por toda a eternidade.

22 de jan de 2012

[fanfic] Pecados Passados - Preludio

essa vai ser a minha tacada de mestre pra almentar as visualizações desse blog, alem de ser o meu trabalho mais dificil aqui(francamente...traduzir 22 capítulos sozinho não é pra qualquer um)
agora vamos a história

Pecados Passados
oque mais voce poderá ser
se o mundo te visse como
 um monstro?

Escrito por Pen Stroke 
e Batty Gloom

=====================================================================


Dedicado a minha amada Tia
Que foi a primeira a me encorajar a escrever.
Ela faleceu quando essa história comessou a ser escrita.
Ela era uma professora, uma mãe, uma esposa, e uma amada tia,
E eu sentirei muita falta dela.


=====================================================================

Preludio
A Ressurreição
===================


Em meio à luz de velas, um unicórnio estava sentado com a cabeça inclinada para baixo e com seus olhos fechados. Solitario a beira de uma lagoa, observando seu reflexo na água. A lagoa estava aninhado no fundo da Floresta de

Everfree
, as árvores escurecidas e galhos retorcidos em torno todos os lados pareciam sentinelas silenciosas.

Enquanto a maioria dos moradores de Equestria tinha se deslocado para nascente, Everfree ainda era dominado pelo apego do inverno. A neve cobria o chão e lá um ar gélido  pairava sobre o ar. Hálito quente do unicórnio fazia o vapor para  subir por alguns segundos antes de desaparecer na noite.


Por um longo tempo, aquele unicórnio silêncioso se mantivera na borda da lagoa, com apenas algumas velas nas proximidades . A luz das chamas cintilantes caiu sobre o seu casaco preto, embora essa não fosse a sua cor natural. Não, todo o seu corpo, incluído a crina, havia sido sido tingido no tom de negro mais profundo possivel .Até mesmo a sua Cutie Mark tinha sido coberta pelos corantes, seu flanco aparecia totalmente negro.


Somente os sons da floresta tranquila foram audíveis, o ranger das árvores edeslocamento da água da lagoa. Foi uma cena de tranquilidade o unicórnio necessário para se preparar para a tarefa da noite. No entanto, como ele pegou em outra respiração profunda e divulgou, hoofsteps começou a ecoar através das árvores.


"Nexus, estamos prontos quando você estiver".
===
O unicórnio negro, Nexus, tomou em outra respiração, os olhos azul-turquesa se abriram e ele se virou para olhar para o pônei que se aproximou dele por trás. "Eu não demorarei a chegar."
O pônei que interromperam acenou com a cabeça, desaparecendo de volta para a floresta. Depois de esperar os passos desvanecerem-se em silêncio, Nexus levantou seu chifre. E sua magia fluiu, ele chegou para o seu lado com a energia arcana, levitando uma série de itens para o ar.
"Nossa rainha, guie-me esta noite," Nexus disse e depois ele voltou o olhar para o céu ", pois é sob esta lua cheia que os nossos esforços irão ser concretizados."
Nexus falou as palavras lentamente, levando sua voz o tom que parecesse estar praticando uma pregação, cujas palavras poderiam inspirar a lealdade de seus irmãos e irmãs. Uma voz que tinha feito grandes mentes e corpos fortes para a causa, embora no momento em que ele estava falando apenas com sigo mesmo.
O unicórnio pintado de preto baixou a cabeça e tocou um casco no peito e depois disse, "Deixe-me ser apenas uma embarcação para a sua vontade e força até que o trato seja cumprido ."
Os itens levitando se aproximaram a ele: uma capa de azul meia-noite com estrelas brancas em toda a sua superfície, uma placa no peito, composto de metal roxo acinzentado, com uma lua crescente azul-turquesa em seu centro, ferraduras para coincidir com a parte da caixa, e um placa de blindados para as costas e seu pescoço.
"Deixe-me ter a sua crina," Nexus falou enquanto movimentava a capa em circulos ", poderosa e bela, uma representação do céu infinito. Deixe-me estar com suas vestes ", ele continuou a fazer os mesmos gestos  com a armadura presa ao seu corpo", nessa armadura que presta homenagem à sua imagem e grandeza. Deixe-me ser o seu corpo nesta noite, pois é você que eu sirvo acima de todos. "
A última peça de armadura levitou em direção a Nexus, um capacete feito do mesmo metal como o pedaço do peito. O unicórnio colocou seu elmo com cuidado, levando-a para baixo em seu chifre, encaixando-o na cabeça.
"Que o seu poder seja meu, pois, esta noite, você deve respirar e saborear o ar fresco da noite para si mesmo," Nexus falou como ele se pôs de cascos. "Você deve olhar para o mundo com olhos de seus país, e não mais ser obrigado a compartilhar um corpo com um potro fraco como você foi no passado. Esta noite, você deve ser sua égua própria, para nunca mais ser ameaçada pelos Elementos da Harmonia ".
Nexus ficou de pé, olhando seu reflexo na lagoa. Ele agora parecia uma copia perfeita de sua amante, assumindo o rosto de um acólito ansioso, pronto para receber o seu poder e conhecimento. Através dos esforços que ele e seu grupo, veriam a sua ascensão, a rainha, novamente. No entanto, apenas ele que tinha permissão para se parecer tanto com a rainha, para liderar o feitiço que estava prestes a ser lançado. Era seu lugar de honrae ninguem poderia roubá-lo.
"Esta noite, a Nightmare Moon, seus seguidores devem conceder-lhe suas vidas, e os tiranos do sol e da lua cairão."
===
Mentalmente preparado, Nexus se virou e começou a caminhar para a floresta, seguindo a trilha que ligava a lagoa para outra parte de Everfree. Outra clareira, foi aberta rapidamente e foi ocupada por vários unicórnios, pegasus, e pôneis que movimentavam constantemente a terra do lugar
O terreno havia sido limpo de neve, embora alguns montes tivessem sido deixados pontilhados sobre o lugar. Em ambos o solo exposto e sobre as pilhas de neve havia bacias de madeira cheia de pó de óleo encharcado. Pintura tinha sido usado no chão para desenhar linhas arcanas de poder, e no ar havia pegasus reunindo as nuvens, empurrando-os juntos para ocultarem-se de olhos curiosos
Todos os pôneis e Nexus usavam um manto negro da ordem com exceção de três, que estavam dando ordens: um par de pegasi e um pônei terrerrestre. Eles, como Nexus, usavam  armaduras , embora ele só tivessem uma estrela na capa e no capacete,  só eles tiveram a honra de vestir-sem assim .
"Quanto falta, Wind Night?" Nexus perguntou quando se aproximou do trio.
"A cobertura de nuvens é quase completa, eo pegasi só precisa de alguns minutos para encher as bacias", o pegasus roxo respondeu, olhando para Nexus com seus olhos azul-turquesa, em sinal de fim. Através do trabalho de um feitiço, Nexus abençoou cada um dos filhos de Nightmare. Foi uma bênção que levou a iluminação junto com seus olhos especiais, que brilhavam de cor turquesa.
"Bom," Nexus disse antes de virar para o pônei terrestre ", Stonewall, você tem os itens?"
"Eles não sairam da minha vista desde a nossa partida de Canterlot, Nexus", o pônei terra respondeu, apontando para a taça que estava atualmente descansando em suas costas.
"E Gray Gale, nossa convidada especial está acordada?"
"Oh sim, ela acabou de acordar", o pegasus cinza do trio respondeu, falando muito mais casualmente. "E cara, ela está com medo!"
"Isso é porque você disse a ela Stonewall que voce arrancaria o seu chifre se ela tentasse escapar," Night Wind o cortou .
"Hey, isso a impediu de tentar qualquer coisa," Gray Gale defendeu.
"Ela não podia tentar qualquer coisa, mesmo que ela queria. Ela tem uma cinta anti-magia em seu pescoço. "

"Você tem feito tudo bem," Nexus falou, parando o argumento antes que pudesse ir mais longe. "Mas agora todos nós devemos tomar nossos lugares. Stonewall, pegue os itens sagrados e ponha no centro do ritual. Gray Gale,Night Wind, preparem suas tochas e olhem para o céu. "
Os três assentiram, indo fazer suas tarefas, enquanto Nexus voltou sua atenção para um lado da clareira. Lá, deitado no chão, havia um cavalo, amarrado com corda e um saco de pano na cabeça.
Pisando com cuidado, Nexus moveu-se entre as bacias de madeira e se aproximou do cavalo amarrado. Quando ele estava a poucos passos de distância, o líder da seita usou sua magia para retirar o saco. O cativo unicórnio estava agora totalmente visível, o casaco violeta sujo em alguns lugares do fato de que ela estava deitada no chão. Sua juba escura roxa era uma bagunça. Ela olhou para Nexus no medo, sem dúvida, ao perceber a semelhança com o unicórnio que havia uma vez caído.
"Estou tão feliz que você foi capaz de se juntar a nós esta noite, Miss Sparkle," Nexus sussurrou quando ele olhou para a pônei roxo.
"Quem é você? O que você vai fazer comigo? "Twilight perguntou em um guincho em pânico, apenas mal conseguindo encontrar a sua voz pois ela lutava contra as cordas que amarravam suas pernas. Ela provavelmente tentou usar sua magia para escapar, mas ela não foi capaz: uma cinta de metal, presa ao redor do pescoço do unicórnio, a impediu de fazer uso de sua magia.
"Inquisitiva, embora eu não devesse esperar nada menos da aluna numero um de Celestia", respondeu Nexus, Levantando Twilight com seu chifre. Com o unicórnio flutuando em sua magia, Nexus voltou para o centro da clareira. Lá, o pônei Stonewall tinha montado um pedestal de metal, sobre a qual ele havia colocado a tigela de madeira de suas costas.
"O que temos planejado para você, Twilight Sparkle, é muito simples. A respeito de quem somos ... assim, considere-nos simplesmente os servos fiéis de verdadeira rainha Equestria, vossa majestade Nightmare Moon. "
"Você está louco?" Twilight perguntou, torcendo um pouco a cabeça enquanto tentava se livrar do feitiço de Nexus. "Nightmare Moon se foi. Como você pode servir a alguem que já se foi? "
"É muito mais fácil do que você pensa, Miss Sparkle . Eu não vou, no entanto, estragar a surpresa. Por enquanto, tudo que você precisa saber é que a sua  "contribuição" é apreciada, "Nexus respondeu enquanto ele colocava o saco de volta sobre a cabeça de Twilight, fixando-o firmemente e colocando um feitiço de amortecimento de som em todo o tecido. A égua continuaram a protestar, apesar do fato de suas palavras serem abafadas pela saco.
Deixando Twilight flutuando no ar, Nexus foi até o pedestal de metal. Ele examinou o conteúdo da tigela de madeira colocada sobre a mesa de metal alto,seus olhos brilhavam em antecipação. Dentro da bacia foram enrolado pedaços do que parecia ser de papel, mas eles eram de uma cor púrpura e uma das peças tinha uma lua crescente azul-turquesa grande em sua superfície.
------
Ele então voltou sua atenção para um punhal que descansava ao lado da bacia, pegando-o com sua magia. O cavalo então olhou para Twilight, que continuaram a se contorcer, coicear, e gritar . Ele aproximou-se de Twilight, e, depois de abaixar ela um pouco mais perto da terra, Nexus coiceou-a no estômago.
O pontapé rapidamente fez Twilight parar de se debater, a unicórnio pendurada sobre a magia Nexus tentou pegar o fôlego que tinha para não ser nocauteada. Naquele momento Twilight permaneceu imóvel, Nexus moveu lâmina do punhal até e da perna de Twilight, deixando um ferimento muito superficial. Não era pior do que um corte de papel, mas trouxe gritos abafados de pânico do unicórnio, como se o corte tivesse sido muito pior.
A ferida começou a sangrar levemente, algumas gotas de sangue pingaram para fora.Nexus moveu o punhal contra a ferida, juntando algumas gotas de sangue sobre a lâmina antes de colocá-lo na tigela de madeira com os restos de Nightmare Moon.
"Sim, a centelha da vida de alguém que tem o elemento da Magia. Que ele conceda a nossa invulnerabilidade rainha contra aqueles malditos Elementos da Harmonia ", sussurrou Nexus, levitando Twilight de volta para a borda da clareira, deixando-a cair sem cerimônia na base de uma árvore quando ele se aproximou do pedestal metal.
Lentamente, Nexus respirou, liberando um sopro de vapor no ar da noite.Então, com um último suspiro profundo, o líder unicórnio olhou para os restos dos filhos de Nightmare, sua voz ecoando através das árvores enquanto ele pregava para seus companheiros.
"Irmãos e Irmãs, durante meses, havendo trabalhado em sigilo. Nós trabalhamos nas costas dos guardas da princesa tirana, colocando a nossa própria segurança em risco.Fortunas pessoais foram gastas, juntamente com muitas horas para nos trazer a este ponto. Mas agora estamos prontos, o feitiço está preparado.
"Hoje nós, os filhos de Nightmare, veremos nossa rainha voltar a vida, ea forma de sua própria.
"Uma vez, ela e Luna eram uma ea mesma coisa, mas os Elementos of Harmonia não poderiam destruir o que foi nossa rainha. Não, esse poder só poderia removela de Luna, um potro fraco, só poderia prendê-la essência nestes fragmentos preciosos. Foi um terrível destino, mas é por causa da incapacidade dos Elementos of Harmonia para destruir a nossa rainha que podemos ficar aqui esta noite.
"Para esta noite, esta magia dará a essência da nossa vida a nossa rainha .Nunca mais ela estará acorrentada à Princesa Luna, e, com nossa ajuda, ela virá para governar toda Equestria um após  sua trágica derrota.
"Agora, emprestaremos a nossa magia, pois o tempo de nossa vitória está chegando!" Nexus chamou, a criação de volta triunfante antes de bater o seus cascos no chão.
"Vamos Nightmare Moon nasça de novo!"
Os membros da seita foram rapidamente para suas posições. Os unicórnios formaram um círculo ao redor da clareira, seus chifres brilhantes como as linhas de tinta que tinha desenhado no chão da floresta ganharam vida com uma incandescência azul. Stonewall, um dos pôneis terrestres andou ao redor do círculo e, com uma tocha, acendeu a taças cheias de óleo e pós, que ardiam com uma chama estranha azul. Como o fogo cresceu, o ar na clareira tornou-se tão pesado com a magia que era quase tangível.
Acima do ritual, os membros pegasus do culto também carregavam tigelas de pó ardente. Com tochas , o blindado Gray Gale e Night Shade voavam sobre à luz das bacias mantidas no alto acima da clareira.
Quando todas as vasilhas estavam acesas, Nexus usou sua magia para levar o fogo de uma, delicadamente segurando-o no ar e mantendo a chama vacilante vivo. Ele trouxe o fogo sobre a bacia contendo os pedaços de Nightmare Moon e o punhal ensangüentado, e depois caiu no interior da chama.
O conteúdo explodiu em chamas quase que instantaneamente, Nexus rapidamente se retirou para a borda do círculo para participar do rito dos unicórnios . Lá, todos eles começaram a formar a magia no ar, funcionando como oleiros com o barro.Eles moldaram a magia livre, moldado-o e começando a forçar para baixo no vaso que continha os restos de Nightmare Moon.
Depois de alguns momentos de ansiedade, Nexus viu o que ele esperava, o punhal embebido de sangue começou a flutuar acima do fogo. O sangue foi elaborado a partir do punhal pelo feitiço e formado em uma única esfera carmesim antes do punhal em si ser lançado para fora do circulo,encravando em uma árvore próxima.
Fumaça negra subia da bacia central, os pedaços de Nightmare Moon começaram a queimar. A fumaça começou a se formar e girar em volta da grande queda de sangue.O fogo das tigelas de madeira desenharam , girando em órbita e ponto focal da magia como a água em uma banheira de hidromassagem.
A gota de sangue foi envolta por uma esfera negra, e essa esfera negra começou a crescer lentamente. Ela atraiu o fogo a fumaça e tudo, e se tornava maior com cada momento que passava.
"Sim ... está funcionando meus irmãos e irmãs. Ela está começando a tomar forma.Nossa rainha deve em breve ser "
KRAC-CROOO-OOOM!
Os pôneis cult saltaram provavelmente um pé no ar quando um único raio correu para baixo do céu e golpeou o centro da magia, cobrindo o pódio de metal e envolvendo a gota de sangue, os pedaços de Nightmare Moon, e os de madeira bowl em chamas carmesim.
Olhos voltados para cima, para a fonte do relâmpago, a cobertura de nuvens dos pegasus do culto havia cuidadosamente sido colocada para trás por um batalhão cheio de guardas reais que voou em suas direções.
"PARADOS! VOCÊS ESTÃO todos presos! "Vários dos guardas gritaram como dezenas de outros pegasus pousando no centro da clareira. Ainda assim, nenhum único pônei parou, os cultistas pareciam estar ignorando os guardas.
Nexus ficou pasmo, vendo como o centro da magia e os fragmentos preciosos da Nightmare Moon foram destruídos. Todos os seus planos, dizimados por um único raio mágico: um raio que só poderia ter vindo de uma fonte.
Virando os olhos para o céu, Nexus olhou para a figura que flutuava para baixo através do buraco nas nuvens. Com um único flash de seu chifre, a figura afastou o resto da cobertura de nuvens como a espuma de um copo de chocolate quente.
-"Celestia ..."  disse Nexus forçando a voz entre os dentes, os olhos azul-turquesa bloqueados pelo brilho da princesa Sol enquanto ela flutuava para baixo em meio a luta, devolvendo a magia de todos que ousassem  atacá-la com apenas um movimento do seu chifre. Dentro dele, um ódio fervia. Cada fibra de Nexus queria atacar, para ferir para a princesa do sol se ela se atrevesse a interromper o ritual, mas ele sabia q não era boa ideia.
"Não pense que você ganhou hoje, tirana do sol. Você simplesmente me atrasou na melhor das hipóteses, "Nexus sibilou, seu próprio chifre começando a brilhar. Gray Gale, Wind Night, Stonewall, e um número de cultistas se reuniram perto Nexus como magia fluiu de chifre em chifre de cada unicórnio. O grupo, então, pareceu desaparecer no ar, apesar de uma série de pegadas tivesse tomado forma no solo macio , agora cultistas fugiram para a floresta Everfree.
===========
"Você prenderam todos os envolvidos?" A princesa perguntou,com seus olhos fixos no guarda que estava diante dela.
Celestia momento sentou-se na biblioteca de Ponyville. Após resgatar Twilight, a princesa tinha levado ela para sua casa de estudante e a mandou direto para a cama. Twilight resistiu um pouco, mas, depois de passar por uma situação tão estressante, não demorou muito para começar a adormecer. Celestia tinha transformado a biblioteca em uma base de operações, mantendo a guarda de sua aluna, pessoalmente, ao ter seus guardas a trazer os seus relatórios para ela.
"Nós capturamos um grande número de pessoas envolvidas, mas acreditamos que alguns conseguiram escapar utilizando magia para se disfarçar", relatou o guarda, a cabeça inclinou-se respeitosamente para o chifre do Unicórnio. "Seguimos seus rastros, mas eles finalmente terminaram, como se eles percebecem o erro, e corrigissem-no antes que pudéssemos pegá-los. Ainda assim, continuamos a procurar na floresta com a ajuda da zebra que a sua aluna falou. "
"Sim, Zecora. Por favor, certifique-se que ela seja devidamente agradecida por tudo que ela fez esta noite. Também, por favor, estenda-lhe um convite para o palácio para que ela possa se juntar Luna e eu para jantar em uma noite de sua escolha. "
"É claro, a Princesa", o guarda respondeu e levantou a cabeça. "Apesar de, se me permite perguntar, o que eram esses pôneis tentando fazer?"
"Eu não sei", admitiu Celestia. "Todos nós fomos capazes de entender a partir da informação que se reuniram antes desta noite era que algo estava para acontecer, e que Twilight tinha a cabeça coberta por um saco de grosso. Ela não sabe o suficiente para nós para verificar propósito deste grupo. "
"E o feitiço?"
"A magia não é algo que eu reconheço. Se for de um livro ou pergaminho, então eu não li ele, mas poderia facilmente ser um novo feitiço. Um ritual criado para uma finalidade específica, embora o efeito ainda continue a ser um misterio. Certifique-se que os detalhes da magia em si permanecem preservados, mas terá de ser estudado ".
O guarda se curvou em uma saudação. "É claro, a princesa. Vamos reunir provas durante a cena e tê-lo levado para o castelo até o momento em que pode ser examinado. "
"Ótimo. Eu não tenho nenhuma dúvida de que o propósito da magia era sombrio, e eu não vou deixar minha aluna ser ameaçada ", disse Celestia, franzindo as sobrancelhas com determinação. "Eu quero a verdade sobre isso Capitão, encontre o mais rapido possivel"
"Naturalmente, Vossa Majestade."
===========
Os guardas revistaram a área de unicórnio, varrendo-a com sua magia para tentar detectar qualquer coisa deixada para trás. O que restou da tigelas de madeira foram recolhidas e algum pó não queimados foram coletados juntos em um único saco. Tudo e qualquer coisa que não era natural da Floresta de Everfree foi retirado do desmatamento, embora os guardas não estendessem a sua busca em fronteira com árvores e arbustos, uma vez que ficou claro que o raio do ritual terminou com ele.
Tudo o que foi recolhido foi carregado em um carro à espera, e uma vez que as procuras foram concluídas, o pegasus atrelados ao carro levantaram vôo. Eles subiram rapidamente para o céu antes bancária, no sentido de Canterlot como os unicórnios abaixo viram seus companheiros soldados, até que desapareceram para além das copas das árvores.
"Atenção Todos , vamos juntar os grupos de busca na floresta para achar qualquer um dos membros do culto que poderia ter escapado", o tenente ordenou . "Dê prioridade às que parecem ser unicórnios, um deles utilizado algum tipo de magia louca para camuflagem, e nós não queremos que isso aconteça uma segunda vez."
"Senhor,alguns de nós não devem ficar aqui?" Um dos soldados falou, um novo recruta da guarda real.
"Para quê?" O tenente tirou, olhando para baixo o soldado que se atreveu a questionar suas ordens.
"Para proteger a cena do crime, Sr", o jovem soldado respondeu, de pé em atenção firme como o tenente caminhou até ele.
"Não, reunimos tudo de importância."
"Mas e se o cultistas voltarem, senhor?"
"Ouçam com atenção, porque eu vou dizer isso apenas uma vez", o tenente , olhando para o soldado falou em voz alta . "Qualquer criminoso que se preza vai ficar tão longe da cena de seu crime possível. Esses pôneis são loucos, mas eles não são estúpidos. Eles não vão voltar. "
O jovem guarda abriu a boca para falar, mas o tenente continuou, ignorando-o."Além disso, este não é o Central Park, em Canterlot. Everfree é perigoso. Há monstros aqui que poderiam comer um pônei com o dobro do meu tamanho em um único gole, com armadura e tudo. Este lugar não é onde queremos passar mais tempo do que o necessário.
"Mas, se você quiser ficar aqui e proteger a cena do crime, fique a vontade. Apenas atente para as hidras ", concluiu o guarda veterano, começando a caminhar para fora da clareira. O resto dos soldados seguiu atrás dele, dirigindo-se para a floresta para se juntar à pesquisa. Só o guarda o que tinha falado não se mexeu, mantendo-se na clareira enquanto os outros desapareceram entre as árvores.
Ele permaneceu lá por um minuto na melhor das hipóteses antes das palavras do tenente chegarem a ele. O soldado invadiu a galope como ele deixou a clareira, correndo para recuperar o atraso com seus companheiros.
Ainda assim, a magia que pairava no ar como uma névoa pesada começou a mudar, um pouco do ar fresco da noite espumava quando ele foi puxado sugado por um lado da clareira. Lá, escondida por um arbusto, uma esfera negra estava entre a sujeira. Uma esfera que foi lançado fora do centro do feitiço pelo trovão de Celestia . A esfera que, na sua essência, continha o sangue de um certo unicórnio roxo.
A magia que permanecera na clareira corria para a esfera, atraída por ela como o metal de um ímã. Como a energia arcana foi absorvida, a esfera cresceu, dando continuidade ao processo iniciado pelo feitiço que foi interrompido por Celestia.

[grimmdark] cupcakes

Antes de tudo, eu tenho que agradecer a Rarity do fórum sonic rainboom por ter traduzido essa fiction pra nós.... agora sem mais delongas, para a fiction
CUPCAKES



traduzido por:Rarity do forum Sonic Rainboom
O ar estava quente, o sol estava brilhando e todos os pôneis em Ponyville estavam tendo um dia maravilhoso. A praça da cidade estava lotada, e todos os pôneis pareciam ter um lugar para ir. Todos, com exceção de Rainbow Dash: seu lugar era no céu. Ela cortou o ar, acelerando cada vez mais. Zuniu pelas copas das árvores, correndo com o vento. O pégaso azul voou sobre uma escola próxima, para a felicidade das crianças que a assistiam, então subiu várias centenas de metros, e desceu tão rápido quanto podia. Segundos antes de bater no chão, suas asas se abriram e ela voltou tranquilamente para o azul do céu. Dash se sentiu mais viva do que nunca.
De repente, ela se lembrou que deveria encontrar-se com Pinkie Pie em cinco minutos. Estava tão empolgada com seus exercícios, que ela quase esqueceu que Pinkie havia pedido para vê-la na Sugarcube Coner ás três horas. Pinkie Pie não tinha dito porquê ou o quê iriam fazer, mas Dash sabia que com Pinkie, poderia ser qualquer coisa. Rainbow Dash não tinha certeza se queria ir. Ela estava tão ligada em suas acrobacias que até pensou em dar um bolo em Pinkie Pie e continuar voando. Mas a consciência de Dash falou mais alto. Ela sabia que iria ferir os sentimentos de Pinkie, além do mais, ela tinha dito que seria algo especial para as duas. Dash pensou melhor e disse “Ah, porque não?” O que ela tinha a perder? Poderia ser mais alguma pegadinha que ela estava planejando. Talvez Pinkie Pie tenha encontrado mais algum jeito legal para fazer os pôneis cairem, da última vez, ela se divertiram bastante. Então, Rainbow Dash voou bem rápido ao seu encontro, para recompensar o tempo perdido.
Quando Dash entrou na loja, ela foi imediantamente recebida por sua anfitiã, que estava pulando de felicidade.
“Legal! Você está aqui! Estive te esperando o dia inteiro!” Disse o pônei saltitante.
“Me desculpe se estou um pouquinho atrasada, Pinkie. Estava fazendo meus exercícios da tarde e perdi a hora” Dash se desculpou.
Pinkie deu uma risadinha e respondeu num tom muito gratificante:
“Ah, está tudo bem. Você esta aqui, agora. O que são mais alguns minutinhos? Eu fico tããão feliz só de pensar todas as coisas divertidas que vamos fazer, eu não parei de pular desde que acordei. Quero dizer, eu quase esqueci de respirar! Estou tão feliz!”
Rainbow deu uma risada forçada. Ela sempre gostou do jeito amigável de Pinkie, independente de como ela era, mas esse entusiasmo dela quase assustou Dash. Mas apesar de tudo, ela manteve um jeito educado. Se Pinkie estava assim, seja lá o que ela planejou, deve ser bom.
“Então, está pronta para começar, Rainbow Dash? Eu estou com tudo pronto aqui.” disse o ponêi cor-de-rosa.
Dash se preparou.
“Pode apostar, Pinkie Pie. Então, o que você planejou? Vamos fazer uma pegadinha em alguém? Tem um monte de pegadinhas que vim pensando de uns tempos pra cá. Ou talvez você acha que eu deveria tentar algumas acrobacias? Ou quem sabe...”
“FAZER CUPCAKES!”
“Assar?” Rainbow Dash estava decepcionada “Pinkie, você sabe que eu não sou boa nessas coisas. Lembra da última vez?”
“Ah, isso não é nenhum problema. Tudo o que eu preciso é da sua ajuda, eu vou fazer todo o trabalho” Pinkie explicou.
Dash pensou mais um pouco.
“Ah, tudo bem. Acho que não tem problema. O que você quer que eu faça?”
“Esse é o espírito. Pode começar” Pinkie Pie deu um cupcake para ela.
Dash ficou confusa.
“Eu achei que ia te ajudar a assar cupcakes.”
“E você vai. Eu fiz esse especialmente para você, antes de chegar”
“Então, isso é um tipo de teste de degustação?”
“Mais ou menos”
Rainbow Dash mordeu o cupcake, mastigou um pouco e engoliu. Nada mal.
“Legal, e agora?” Dash perguntou.
“Agora” Pinkie disse a ela “Você tira uma soneca”
Confusa, Dash abriu a boca mas sentiu-se tonta. Uma onda de tontura tomou conta dela, e sugundos depois, caiu no chão.


Quando acordou, ela viu que estava num quarto escuro. Tentou balançar a cabeça, mas uma faixa de couro segurou-a firmemente no lugar. Lutou para se mover, mas não conseguiu, pois havia correntes muito resistentes segurando-a. Suas asas eram as únicas partes de seu corpo que não estava presa, elas balançavam freneticamente enquanto tentava escapar. Enquanto ela se contorcia, Pinkie Pie pulou na sua frente.
“Ah, que bom, você acordou. Agora podemos começar” Pinkie disse alegremente. ela saltou para a escuridão e rapidamente reapareceu empurrando um carrinho coberto por um pano.
“Pinkie, o que está acontecendo? Eu não consigo me mexer!” Disse Rainbow Dash.
“Duh, é porque você está amarrada.” Disse, num tom repreensor
“É por isso que você não pode se mexer. Eu não acho que você precisava ser avisada sobre isso.”
“Mas porque? O que está acontecendo? Eu pensei que eu ia te ajudar a fazer cupcakes!”
“E você está ajudando. Olha, eu fiquei sem meu ingrediente especial e preciso de você para ter mais.”
“Ingrediente especial?” A respiração de Dash começou a ficar pesada, e começou a entrar em pânico. “Que ingrediente especial?”
Pinkie deu uma risadinha e disse:
“Você, bobinha!”
Dash arregalou os olhos e seu rosto se contorceu de medo. Então ela começou a rir e disse numa voz histérica:
“Ah, você me pegou dessa vez, Pinkie Pie. Quero dizer, você me fazendo pensar que iria me transformar em um Cupcake? Eu vou te falar, essa é a melhor pegadinha de todos os tempos! Você venceu, você é a melhor.”
Pinkie riu mais ainda.
“Obrigada, Rainbow Dash. Mas eu não fiz nenhuma pegadinha hoje, então não posso aceitar o seu elogio”
Dash se mexeu de novo.
“Pinkie, isso não é nada engraçado.”
“Então porque você estava rindo?”
Antes que Dash pudesse responder, Pinkie puxou o pano do carrinho. Nele, havia uma bandeja com vários instrumentos médicos afiados, muitas facas também, cuidadosamente organizadas e afiadas.
Dash agora estava em completo desespero.
Tentou argumentar com o pônei cor-de-rosa.
“Você não pode fazer isso, Pinkie! Sou sua amiga!”
“Eu sei que você é, e é por isso que estou tão feliz por estar aqui. Nós temos que compartilhar seus últimos momentos, apenas você e eu” Ela voltou a pular novamente.
“Mas os outros pôneis vão sentir a minha falta! Quando as nuvens se acumularem, eles vão vir atrás de mim e você vai ser descoberta!” Dash começou a chorar em desespero.
“Ah, Dash.” disse Pinkie “Não se preocupe, há um monte de pegasus que podem tomar conta das nuvens. Além do mais, ninguém vai descobrir. Quero dizer, há quanto tempo você acha que eu venho fazendo isso?”
E sem o menor aviso, Pinkie ligou a luz e revelou o resto do quarto.
“Ah não.” Dash ficou horrorizada ao ver aquela imagem.
O quarto era decorado com o tipico toque de Pinkie Pie, mas de um jeito mais assustador. Entranhas secas de várias cores formavam serpentinas presas ao teto, crânios pintados de todos os tamanhos estavam presos à parede, e orgãos cheios de hélio estavam amarrados às cadeiras, igual á balões. As mesas e cadeiras eram feitas de ossos e carne preservada de pôneis passados. Dash se encolheu ao ver o arranjo central de uma mesa perto dela. A cabeça de quatro poneizinhos. Seus olhos estavam fechados, come se estivessem dormindo, estavam vestindo chapéus de festa feitos de sua própia pele. Com um arrepio, Rainbow Dash reconheceu um deles como uma colega de Apple Bloom, Twist. Os olhos de Dash começaram a olhar pelo quarto, e pararam sobre uma espécie de cartaz feito com a pele de vários pôneis. Em vermelho sangue, estava escito “A vida é uma festa”.
A atenção de Dash voltou-se a um chifre fazendo cócegas no seu nariz. Ela ficou boquiaberta ao ver Pinkie Pie, que estava bem na sua frente. O pônei que adora festas estava vestindo um vestido, que era feito de Cutie Marks. Na suas costas, balançavam seis asas de pegasos, todos de cores diferentes. O pônei terrestre pulava de felicidade, e isso fazia que seu colar de chifres mágicos balançasse fazendo um barulho estalado.
“Você gostou?” Pinkie perguntou “Eu mesma que fiz”
Desesperadamente, Dash implorou ao pônei feliz perto dela:
“Pinkie, por favor, me desculpe se eu fiz alguma coisa para você. Foi sem querer. Por favor, me deixe ir, eu prometo não contar para ninguém”
“Ah Dash, você não fez nada. É que sua vez estava se aproximando e, bem, não sou eu que faço as regras. Não podemos voltar atrás agora”
Dash começou a chorar. Como isso podia estar acontecendo?
“Ahh, não fique triste, Dash.” disse Pinkie “Olha, isso vai te animar. Eu te trouxe uma amiga.”
Do nada, Pinkie trouxe um crânio pintado de azul e amarelo. Tinha o tamanho da cabeça de um pônei, mas havia uma coisa que o definia muito bem: um bico.
Dash ficou em choque
“Isso.....isso...é...”
“Ei Dash, vamos combinar. Esses pôneis são fracos. Ai, ai, ai” Pinkie murmurou. “Eu peguei ela logo depois que deixou a cidade. Lembra que eu deixei a festa depois de uns 20 minutos? É claro que não foi tempo o suficiente pra brincar com ela, claro, eu precisei esperar até depois da festa pra fazer isso. Mas eu estou feliz por isso. Valeu a pena saborea-la. Grifos têm gosto de dois animais em um, é maravilhoso. Eu sei que ela não tinha uma vez igual todo mundo em Ponyville, mas quando eu vou ter outra chance de tentar com um grifo? Eu provavelmente deveria ter perguntado de onde ela veio para poder pegar mais, mas eu esqueci. Eu vou te falar o que achei, ela era bastante lutadora. Ela resistiu por um logo tempo, o que foi muito divertido para mim, claro. Eu tive a chance de brincar com alguém que não é um pônei e tentar algo novo. Mas ela tinha uma boca muito malvada, e isso era muito chato. Ela disse muita coisa má, e eu tive que arrancar sua língua. Você sabe, um péssimo modo de falar, trás péssimos sentimentos, Rainbow Dash.”
Dash não tinha mais nada a dizer. Ela apenas soluçou e contorceu em suas correntes apertadas.
“Bem” disse Pinkie, com um ar de finalidade “Já é o suficiente. Vamos começar”
Deixando o crânio de Gilda de lado, a pônei rosa segurou um bisturi com firmeza e foi até o flanco direito de Dash. Sem qualquer cerimônia, Pinkie colocou a lâmina à um centímetro da Cutie Mark dela e começou um corte em círculo em torno dele. Dash gritou de dor e tentou desperadamente se afastar, mas as correntes não permitiam. Depois de terminar a incisão, Pinkie pegou uma faca da bandeja do carrinho. Com muita concentração, fatiou a pele de Dash. Ela rangeu os dentes e olhava em lagrimas sua carne sair do corpo. Então Pinkie passou para o outro lado e repetiu o processo com o flanco esquerdo. Quando ela terminou, segurou as duas Cutie Marks na frente da amiga e chacoalhou como se fossem pompons. Dash choramingou. Seu flanco queimava em dor, ela nunca tinha sentido uma dor tão grande.
Deixando os dois pedaços de pele de lado, Pinkie pegou uma faca maior que a outra e foi para trás do pegaso azul.
“ Espero que não se importe, eu vou improvisar agora¹ ” Pinkie riu. Ela pegou a asa esquerda de Dash em sua boca e brincou com ela por alguns segundos, puxando com força, enquanto os flancos de Dash ardiam em fogo de tanta dor. Então, esticando a asa, Pinkie trouxe a faca na base. Instantaneamente, Dash bateu as asas com força. O movimento fez com que a faca caísse. Tentou acertar novamente, mas errou e acabou tirando um enorme pedaço das costas de Rainbow Dash.
“Dash, você tem que ficar parada, ou eu vou continuar errando” Pinkie repreendeu enquanto sua amiga gritava de dor.
Pinkie tentou novamente, e dessa vez acertou seu alvo. Ela esfaqueava mais e mais vezes. O sangue espirrava no ar, mas Pinkie percebeu que não estava indo a lugar nenhum desse jeito. A lâmina não passava pelo osso.
“Hmm, eu acho que esqueci que afiar isso aqui. Vou tentar outra coisa.” Falou com naturalidade. Jogou a faca por cima do ombro, caindo direto na mesa. Através das lágrimas de dor, Dash escutou o som de uma caixa de metal abrindo e fechando
“Encontrei! Me diz Dash, porque eles chamam de “serra de cortar”? Isso não corta, corte era o que eu estava fazendo com a faca. Isso é uma serra. Não intendi.”
Então ela colocou a ferramenta em cima da carne mutilada por causa da última tentativa. De pé sobre os cascos traseiros, serrou para frente e para trás, segurando com os cascos dianteiros. Ela conseguiu facilmente serrar pela pele e pelo osso. Dash rangeu tanto os dentes, que isso a fez querer vomitar. Ela assistiu com muita dor como sua asa voou sobre sua cabeça e caiu de um jeito macio na mesa. Pinkie foi para a outra asa e começou a serrar. Dash não se contorceu dessa vez. Ela desistiu de lutar e se concentrou nos seus gritos de agonia. De repente, o corte parou. Pinkie apenas estava na metade do processo, e a asa presa numa tira.
“Ei Dash!” Pinkie disse “Pensa rápido!”
Do nada, ela puxou a asa tão forte quanto podia. O osso quebrou, mas a pele se manteve, mas puxou ela novamente. O puxão arrancou uma tira de carne das costas de Dash. Seu corpo não aguentou mais. Sentiu uma dor agonizante. Então, o grito dela encheu o quarto. Incapaz de recupear os fôlego, desmaiou.


Dash reacordou, engasgando. O cheiro de sua urina encheu suas narinas.. Sua visão voltou ao foco, e encontrou uma Pinkie Pie muito aborrecida, tirando uma agulha enorme de seu peito. Pisando em seus cascos, a Pinkie frustrada atacou sua vítima indefesa.
“Ninguém nunca te ensinou boas maneiras? É muita falta de educação dormir quando alguém te convida pra passar o tempo. Como você se sentiria se eu fosse na sua casa e dormisse? ‘Ah, me desculpe Dash, você é tão tediosa que acho que vou dormir.’ Você acha que sempre gosto de fazer isso por mim mesma? Eu te disse como me senti feliz quando descobri que você seria a próxima. Eu estava feliz em ter uma amiga aqui enquanto eu trabalho. Mas NÃÃÃÃO! Você tinha que ser arrogante. Sabe, eu achei que você era durona. Eu achei que você pudesse aguentar qualquer coisa. Eu já tive crianças melhores que você! Eu tenho que tomar conta de você agora? Hã? É assim que você quer que eu lembre de você, como um bebê?
Quando Pinkie parou para recuperar o fôlego, Dash piscava e soluçava baixinho. Suas costas doíam muito. Seus lados ardiam em dor. E havia uma dor intensa em uma de suas pernas. Enquanto piscava de novo, ela viu Pinkie morder alguma coisa vermelha. Então começou a mastigar. Percebendo o olhar de Dash, ela engoliu o pedaço rapidamente.
“O quê?” Pinkie perguntou “Ah, isso?” Ela mordeu novamente. “Enquanto VOCÊ estava dormindo, eu fiquei um pouco impaciente. Peguei da sua perna, você não está nada mal. Quer provar um pouco?”
Sem esperar por uma resposta, Pinkie enfiou um pedaço de carne na boca impaciente da pegaso azul. Dash pegou, mas imediantamente cuspiu. Pinkie franziu a testa e pegou o pedaço de carne.
“Se você não queria, podia só ter dito não” Ela pegou o pedaço do chão e comeu. “Não é igual se você nunca tivesse comido meus cupcakes antes”
Depois de engolir, ela voltou sua atenção a uma pequena lata no centro da bandeja. Ela tirou a tampa, e mostrou que estava cheio de brasas. Em cima das brasas havia vários pregos enormes. A adrenalina enchou as veias de Dash, e ela entrou em pânico de novo. Pegou a lata e e andou até a parte esquerda de Dash. Segurando algumas pinças com sua boca, cuidadosamente escolheu um prego e colocou na parte entre a perna e o casco. Pegou o martelo e mirou com muito cuidado.
“Não Pinkie!” Dash gritou “NÃO! NÃO!”
O martelo desceu e o prego perfurou sua pele. Isso era demais para ela. Dash gritou. Mexia suas correntes, e isso fazia com que encostasse em sua pele crua. Gritou e chorou mais ainda. Pinkie tentou alinhar outro prego, mas não conseguiu encontrar onde colocar, então soltou um grito frustrado. Pinkie voltou com o martelo, dessa vez bateu com muito mais força, Dash começou a chorar e implorar.
“POR FAVOR PARE! POR FAVOR, PARE!”
Pinkie revirou os olhos. Deixou de lado o martelo e as pinças, voltou para a fente de sua amiga e olhou pensativa para o pégaso todo quebrado.
“Gilda não chorou tudo isso quando teve um parasprite vivo na garganta”, disse.
Pinkie pensou um segundo sobre o que ela iria fazer agora. De repente, ela teve uma ideia.
Pinkie foi para as patas traseiras de Dash, trazendo a lata com ela. Com suas ferramentas, Pinkie levou um pedaço de metal muito quente diretamente na parte inferior do casco de Dash. Enquanto gritava de dor, Pinkie foi ao outro casco e colocou um segundo prego. Em seguida, Pinkie voltou ao seu carrinho e pegou uma enorme bateria com um controle, e arrastou para onde estava Dash. Ela amarrou fios de cobre entre os terminais e os pregos nos cascos de Dash, então deu uma piscadinha para ela e ligou a bateria.
A eletricidade disparava pelo corpo de Dash. Seu corpo cedeu e seus músculos esticaram. Seus quadris deram um impulso, seus olhos reviraram, então soltou um grito esganiçado e começou a chorar. Pinkie riu e dançou ali mesmo, então se abaixou e viu o “suco”. Dash estava em convulsão e sua bexiga havia esvaziado mais uma vez.


Depois de aproximadamente cinco minutos, Pinkie desligou a energia. Uma fumaça subiu do pêlo de Dash, e o quarto cheirava a carne cozida. Pinkie tentou limpar toda a baba que Dash havia feito. Ela estava delirando, tentando voltar a atenção.
“Dash? Dash! Rainbow Dash, acorda!” Ela gemeu e tentou voltar a atenção novamente. Pinkie olhou o que tinha feito e em seguida, puxou de um saco uma grande seringa.
“Tudo bem, vamos para a última rodada”
Dash tentou focar na agulham mas sua visão estava muito embaçada. Pinkie tomou isso como uma pergunta de o que era aquilo.
“Isso é uma coisinha para fazer a dor desaparecer.” Pinkie disse enquanto ia para as costas de sua vitima. Dash se encolheu quando Pinkie espetou a agulha na parte inferior de sua coluna. Voltando a frente se sua amiga de novo, Pinkie explicou:
“Em alguns minutos, você não será capaz de sentir qualquer coisa abaixo do seu peito. Então você vai poder ficar acordada para assistir o resto do show!”
Dash começou a chorar de novo.
“Pinkie?” Ela disse
“Sim?”
“Eu quero ir para casa” Dash soluçou.
“Sim, eu posso ver que você quer” respondeu “Ás vezes, eu quero é desisitr. Falar ‘Estou farta dessa bagunça’ e ir pra cama. Mas sabe de uma coisa? Você não pode fugir de suas responsabilidades. Você tem que se levantar e aceitar os desafios. Esse é o único jeito de ir pra frente com a vida”
Dash abaixou sua cabeça e chorou.
Minutos se passaram e a droga fez efeito. ela não sentia mais nada do peito até os flancos. Então, Pinkie se aproximou com um bisturi. Olhando pra Dash e sorrindo, ela fez um corte horizontal até a sua pélvis, apenas acima de sua virilha. Movendo o corpo de Dash, ela fez um corte igual em cima de suas costelas. Finalmente, ela fez um corte vertical maior na barriga, ligando os dois primeiros.
“Estou de olho² em você!” Pinkie riu.
Com um som molhado e nojento, a barriga de Dash se abriu. Ela viu seus próprios orgãos cairem no chão, fazendo sua respiração pesar. Cuidadosamente, Pinkie abriu abdomen e pegou os intestino grosso. Enquanto separava o intestino grosso do resto do aparelho digestivo, puxou agora tirando da barriga de Dash. Pinkie ria alegremente enquanto desviscerava sua amiga. Pinkie começou a fazer piadas. Dash, cada vez mais fraca por causa da sua perda de sangue, tentou desesperadamente calar a comédia macabra.
“Olha pra mim, eu sou a Rarity!” Pinkie enroscou o intestino no seu pescoço, espirrando sangue pra todos os lados. “Meu novo cachecol não é tããão fofo?”
Procurando novamente nas entranhas de Dash, ela encontrou um pedaço de intestino menor. Tirou o excesso de fezes que ali estava e passou o orgão entre os dentres, para trás e para frente.
“Os dentistas recomendam passar fio dental todos os dias, Rainbow Dash”
Dash não tinha mais consciência do que estava acontecendo. O choque de tudo aquilo foi fazendo com que Dash apagasse lentamente.
Decepcionada, Pinkie tentou fazer ela voltar, mas ela estava muito fraca.
“Ah, não vai ainda, Dash” Pinkie começou a puxar o resto dos orgãos de Rainbow Dash, fazendo uma pausa a cada puxada.
“Eu sei que posso ser bem difícil, mas você sabe que estou só brincando com você. Caramba, essa piadas estão ficando horríveis.³ "
Pinkie colocou as partes do corpo num balde, deixando uma última parte por mais tempo.
“Uuuhh, olha isso!" Ela disse, colocando o final do esôfago de Dash na sua boca, e o estômago debaixo de seu braço. Ela apertou, e um ácido espirrou na sua língua.
“Eca! Ei, olhe. Aqui está seu cupcake, Dash!”
Dash não conseguia ouvir mais nada. Perdera a consciência já fazia tempo. Ainda não satisfeita, Pinkie injetou mais adrenalina. Dash acordou pela ultima vez, seu coração ainda batendo. Sangue jorrava de seu peito. Não duraria muito agora.
Pinkie foi para perto de Dash, bisturi na mão.
"Sabe Rainbow Dash, estou muito decepcionada. Achei que você ia durar mais. Eu queria muito passar mais tempo com você. Mas eu acho que foi minha culpa, eu deveria ter feito isso mais devagar. Pois bem, foi um prazer te conhecer, Rainbow Dash!"
A lamina entrou no pescoço azul e foi guiada até o queixo de Dash. Depois, Pinkie circulou a garganta de Dash com o bisturi. A ultima coisa que Dash sentiu, foi sua pele sendo descolada de seu crânio e o metal da lamina raspando seus dentes.
Então ela se foi.


Pinkie se olhou no espelho. Ela tinha feito um ótimo trabalho, mesmo sem tirar as pálpebras. Ela piscou, e parecia que Dash piscava de volta. Entao Pinkie sorriu.
Apesar de tudo, Pinkie estava triste, agora que sua amiga se fora. Dash durou apenas cinqüenta minutos, isso não é nem perto do que ela queria. Ela olhou novamente pro cadáver no centro do quarto, os últimos de seus fluidos corporais indo direto para uma panela. É, não havia mais Rainbow Dash.
Enquanto olhava, inclinou sua cabeça. Então, ela começou a perceber que o corpo não sofreu tantos danos.
"Na verdade" Uma idéia explodiu em sua cabeça. Pinkie era boa em costura, e tinha todos os pedaços. Tudo o que tinha que fazer era junta-los novamente. Sim, ela só precisava pegar algumas coisas e pronto, ela teria Rainbow Dash para sempre. Na verdade, Pinkie já sabia o que fazer quando a vez de todas as suas melhores amigas chegar. Estava tão feliz, pulou direto do corpo para começar. Os Cupcakes podiam esperar, ela tinha uma amiga para fazer.


Notas:
¹ "Wing" significa tanto "asa" quanto "improvisar". Ela fez um trocadilho com a palavra.
² "De olho em você" significa "My eye on you" e a pronuncia fica I, que é o formato do corte que ela faz na barriga de Dash.
³ Nessa frase, ela faz trocadilhos com os nomes dos órgãos em inglês. A piada ficaria incoerente em português.





21 de jan de 2012

[sad-fic]Hoje, Amanhã e para sempre

Me aproveitando q no episodio de hoje tivemos uma cena inedita até o momento, eu vo colocar aqui uma das minha fictions favoritas da derpy:

bem aí vai

Hoje, Amanhã e para sempre



Twilight Sparkle soltou um suspiro profundo. Ela não queria admitir, mas não adiantava negar quela verdade horrível. "Spike", ela gritou, com voz angustiada: "Eu não tenho nada para ler!"

"O quê? Você tem sim! ", Disse o pequeno dragão roxo, apontando para as centenas de livros que adornavam as paredes da biblioteca. "Você tem toneladas de livros aqui que você nem sequer tocou!"

"Bem de fato,ha enciclopédias ,livros de magia e histórias, mas esta biblioteca tem um grave déficit de boa ficção, e é para isso que eu estou no clima para agora."

"Hum, eu poderia lhe contar uma história", ofereceu-se Spike. "Era uma vez um super-herói dragão impressionante. Em sua identidade secreta, ele trabalhava para uma nerd neurótica. "

"Sério, Spike", disse Twilight " As cartas não chegaram ainda? Eu pedi um monte de novos livros que deveriam ter vindo hoje. "

"Huh?", Disse Spike, "Você não viu a Derpy deixando aqui umas cartas ontem?"

"Oque ela deixou?", perguntou Twilight. "Eu não me lembro bem ..."

Ela olhou para as cartas do dia anterior, a maioria dos que estavam assentados fechadas em sua mesa. Brotando entre dois envelopes havia um pequeno envelope verde.

"Oh! Devo ter notado "Twilight pegou a carta e comessou a ler:


Caros Amigos,

Estou terrivelmente ocupada
DESCULPE, MAS NÃO HAVERÁ CARTAS AMANHÃ DEVIDO A QUESTÕES PESSOAIS. o serviço será retomado depois de amanhã.
,

DERPY HOOVES


"Ela está sempre muito mais eloqüente em sua escrita do que em discurso", disse Twilight. "Mesmo que não esteja perfeitamente coerente, a não ser que ela esteja escrevendo um poema. É incomum para ela ter um dia de folga? "

"Não é apenas incomum", disse Spike, "É inédito! Applejack estava me dizendo que em todos os anos Derpy tem sido a unica carteira de Ponyville que nunca perdeu um dia de trabalho! "

"Wow", disse Twilight. "Eu sabia que a Derpy trabalhava duro, mas ... bem, então eu me pergunto por que ela teria um dia de folga tão de repente assim?"

Não muito longe dali, no escritorio de correios de Ponyville, o trabalho duplicou com a ausencia de Derpy. Derpy estava muito contente com ela mesma: ela estava pendurando bandeiras, as decorações estavam no local, e o bolo estava muito bonito. Ela já tinha três vezes - ela nunca tinha cozinhado antes - mas tudo estava correndo perfeitamente. Na verdade, provavelmente ela não tinha necessidade de ter um dia de folga para fazer isso. Ela poderia ter pedido para Pinkie Pie para fazer as decorações para ela, mas parecia errado de alguma forma. Hoje era um dia para a família. Ninguém mais.

"Rinocerontes e flan", disse ela para si mesma. "Quase a hora de decolar. Abortar, Houston! "

Ele provavelmente também teria levado menos tempo se Derpy não estivesse lutando contra suas emoções o tempo todo. Cada streamer pendurou, cada balão ela colocou-se, serviu como um lembrete do que aconteceria hoje. E do que iria acontecer ao pôr do sol.

Tudo estava pronto agora. Dinky chegaria da escola a qualquer minuto.

Dinky Hooves saltitava feliz no caminho para a casa que dividia com sua mãe. O pequeno, unicórnio púrpura não podia esperar para contar a sua mãe o que tinha acontecido na hora do almoço daquele dia. os pais de Scootaloo provavelmente ficariam chateados em saber que sua filha havia tentado cantar sua nota mais alta e, agora, a escola precisava de novas janelas. Mas foi exatamente o tipo de história que sempre fez Derpy rir.

Ela entrou pela porta da frente, mas pela primeira vez em sua vida, a mãe dela não estava lá para cumprimentá-la. Em vez disso, havia um pequeno cartão colado na parede, escrito simplesmente, "SALA DE JANTAR."

Dinky abriu a porta para a pequena sala onde sua mãe comia o jantar. Era muito escuro.

"Mãe", perguntou Dinky, "tá tudo bem?"

"SURPRESA!", Gritou Derpy, como as luzes se acenderam e confetes caiu do teto. Ela voou para a sua filha e deu-lhe um grande abraço. "SUPER NARWHAL, MEU MUFFIN!"

"M-mãe", perguntou Dinky, feliz, mas confuso. "O que está acontecendo?"

Derpy recuou, olhando para a filha com orgulho tremendo. Em seu rosto havia um sorriso, mais brilhante e feliz do que qualquer um que Dinky já tinha visto. Mas seus olhos não diziam isso.

Dinky foi provavelmente o unico pônei em Equestria que podia ler os olhos de sua mãe. Sua aparência estranha, era difícil para qualquer pony compreendê-los, mas Dinky descobriu que uma vez que você pega o jeito deles, Derpy tinha dois dos olhos mais expressivos que ela já tinha visto. E hoje, eles pareciam ser os olhos de uma égua que estava com dor incrível.

"Mamãe ... Tem certeza que está tudo bem?"

Derpy esfregou a cabeça vigorosamente. "Sapatos! Sapatos! ", Ela apontou para a mesa.

Havia um bolo pequeno, com uma fatia já cortada e colocada em um prato a espera de Dinky. Bolo de cenoura, seu favorito. Derpy correu até a mesa e tirou cadeira de Dinky. "Descanse sua contas!", Disse. "Isopor prepara o beatbox!"

Dinky sentou-se. Ela achou estranho que Derpy fez uma festa ao acaso, mas que não estava completamente fora do caráter de sua mãe. Ela estava sempre fazendo coisas pequenas para sua filha. Este foi apenas uma grande ... coisa pequena.

Derpy e Dinky conversaram alegremente enquanto comiam bolo e chá. Dinky disse a ela sobre as janelas quebradas, e sua mãe parecia tão interessada que passou a contar a ela sobre todos os detalhes de seu dia. Ela normalmente não faz isso, mas parecia tão extasiada , falando para Dinky cada palavra, que Dinky se sentiu compelida a ir em frente. As horas passavam rapido, como mãe e filha conversavam alegremente. Então, de repente, Derpy virou e olhou para o relógio na parede.

"Bobinas de Tesla", ela exclamou. "É perigoso ir sozinho!"


Ela pegou uma caixa debaixo da mesa, embrulhado em uma grande fita vermelha. Derpy sorriu.

"Um presente? Oh, mãe ... hum ... obrigado! "Dinky pensou que sua mãe estava indo um pouco longe, mas um dom é um dom. Talvez fosse aquele chapéu da Rarity,que ela tinha pedindo.

Dinky rasgou a caixa na velocidade da luz. Não era um chapéu.

Dentro havia uma bela foto emoldurada de Dinky e sua mãe. Foi um dos conjunto de fotos de família que Derpy insistia que deveria ter tirado, uma semana antes. As duas tinham chegado todas vestidas com suas roupas mais bonitas, e Fluttershy tinha chamado Photo Finish para tirar as fotos.

O quadro era bem caro, também, com gravação profissional na parte inferior. A inscrição dizia:

HOJE, AMANHÃ ,PARA SEMPRE

Dinky tinha achado estranho no momento em que a mãe dela estava de repente tão interessada nas fotos, que tinha que encolher os ombros. Mas agora, entre as fotos, o quadro, e a entrega tão súbita ....

Dinky olhou para sua mãe. "Mãe, se há algo que você precisa me dizer?"

Com um sorriso, Derpy colocou o casco delicadamente no queicho da filha. "Para você, o meu bolo", disse ela. "Sempre. Sempre, para você. "Voz Derpy era tremula. Ela continuou sorrindo.

"O que ..." Dinky balançou a cabeça, e colocou a foto sobre a mesa. "Mamãe ... o que há de errado?"

"Brilho!", Disse Derpy, ainda sorrindo. "Dias brilhantes em Pepperland", ela apontou para o teto.

Foi quando Dinky notou um banner. Ela engasgou.

A bandeira não tinha sido envolto em uma área normalmente visível. Derpy, por qualquer razão, tinha usado para cobrir todo o teto, por isso não podia ser visto a menos que se olha-se para cima. Em letras de ouro gigante, obviamente, escrito por Derpy, lia-se:

FELIZ ANIVERSÁRIO, MEU MUFFIN!

"Mamãe ...", disse Dinky, seu tom de repente com medo. "Meu aniversário é daqui a quatro meses."

Derpy assentiu. "Todos os dias", disse ela. "Todos os dias para sempre." Ela fungou. Ela ainda estava sorrindo.

"Não, você está escondendo alguma coisa!", Disse Dinky. "Isso é estranho mãe! Mesmo para você! "Ela correu de sua mãe para a cozinha.

"Suspensórios! Contrabandear com cuidado! ", Disse Derpy, tentando correr atrás dela. Em sua pressa, ela tropeçou e caiu batendo no chão. Até o momento ela se levantou e correu para a cozinha, já era tarde demais.

Dinky estava ali,com um olhar de extremo choque em seu rosto. Havia uma carta no chão na frente dela.

Derpy correu para sua filha ea abraçou.

"Mãe, isso é verdade?" Dinky perguntou. "É ... é uma piada, certo?"

A carta foi datada de duas semanas antes. Lia-se:


MADAME HOOVES

Consideramos SEU RECURSO e ele foi negado. Embora esteja claro que você não trate mal a DINKY, é a decisão desta Comissão que a sua situação mental "UNICA" lhe torne inapta para cuidar dessa criança.

Assim, lamentamos informar que a AGÊNCIA DE PROTEÇÃO EQUESTRIAN de crianças decidiu retirar DINKY de seus cuidados e colocá-la em um lar adotivo. Nós sentimos que este é o melhor recurso DE AÇÃO PARA SEU desenvolvimento continuar.

UM AGENTE virá tirar DINKY de voce AS SEIS DA TARDE, EM DUAS DUAS SEMANASA PARTIR DE HOJE. FIQUE CIENTE DE QUE qualquer tentativa de que se impedir esta remoção SERÁ considerado seqüestro, e voce será processada ​​COMO TAL.

Esperamos que você compreenda que tudo que fazemos é no melhor interesse DINKY'S.

SINCERAMENTE,

AUTUMN SCAMPER

Presidente do Comitê,

EQUESTRIAN AGÊNCIA DE PROTEÇÃO DE CRIANÇAS


Dinky estava tremendo. Com pavor tremendo, ela se virou e olhou para o relógio da cozinha.

Eram 05:58.


Dinky virou-se para sua mãe. "Não. .. mamãe, por favor ... você pode voar. Me pegar, podemos voar longe. Agora mesmo! Vamos lá! "

Derpy balançou a cabeça. Ela continuou segurando a sua filha.

"Ou ... podemos chamar alguém! Talvez Twilight pode usar a magia para nos fazer invisível! ou Rarity pode dar-nos disfarces! Certo? Mãe mamãe ..., por favor, diga alguma coisa ...."

Derpy beijou a filha na testa.

"Sanduíches e terebintina ..." Derpy disse, lutando soluços de volta. "Patos de madeira e ... e ... muffins ... você ... Eu. ..."

"Mãe ...."

"Eu não posso .... não posso ... não posso ..."

Houve uma batida na porta.

"Mãe!"

"Não é possível .... não .... não .... não pode ser .... ...."

Outra batida.

"Mãe, por favor ..."

"Não é possível ... ser .... normal." Derpy disse.


Derpy soltou de sua filha, e começou a caminhar até a porta.

"Mãe, não! Pare! "Dinky correu atrás dela. Então Derpy voou, mais rápido do que Dinky poderia sempre esperar para ir. Ela abriu a porta.

"Boa noite, Madame Hooves", disse um unicórnio tan-colorido com óculos e uma folha vermelha como sua cutie mark. "Sinto muito, mas está na hora."

Derpy não disse nada, mas fez um gesto para o unicórnio entrar.

"Dinky?" O unicórnio gritou: "Você está aqui?"

Não houve resposta.

O unicórnio concentrou-se por um momento e seu chifre brilhou. Segundos depois, um tênue brilho apareceu da cozinha. "Ah", disse ela. "Aí está você ... é bem, querida, eu prometo que eu não estou aqui para te machucar ..."

Dinky saiu correndo da cozinha, passado pelo unicórnio e abraçando a mãe dela.

"Mamãe, POR FAVOR!", Disse. "Não deixe que ele me levar! Eu não me importo se você é estranha! Eu não me importo se você fala engraçado! Você é minha mãe! Você é minha mãe ... "

Derpy não disse nada. Mas Dinky sentiu sua mãe abraçá-la, e tudo estava bem. As coisas estavam indo para ficar bem, ela tinha certeza disso. Dinky sentiu-se segura e tão calma ...

Derpy gentilmente colocou Dinky adormecida no chão. O unicórnio caminhou até ela.

"Me desculpe, eu tive que usar um feitiço do sono, é mais fácil dessa maneira. Você entende. "

"Beehive Fried", disse Derpy. Ela olhou para o chão.

"Muffin ... amá-la. Prometo! ", Disse ela, então ela olhou para o unicórnio. "Ame-a ... para mim."

"Não se preocupe", disse o unicórnio. "vai dar tudo certo ..."

"Promete?", Disse Derpy.

"Eu prometo", disse o unicórnio. "Obrigado por sua cooperação, Madame Hooves".

O unicórnio magicamente levantou a Dinky dormindo até suas costas, e começou a caminhar para fora. Só então, Derpy correu para a sala de jantar, gritando: "A luz vermelha!", e depois correu para a cozinha.


Um momento depois ela estava de volta, carregando algo em sua boca. Ela gentilmente colocou a foto emoldurada de si mesma e Dinky nos braços de sua filha adormecida. Então, ela beijou a filha na ponta do nariz, e recuou.

"Boa noite, Madame Hooves", disse o unicórnio. "Eu. .. eu sinto muito."

Derpy afastou-se e o unicórnio saiu com sua filha. Quase roboticamente, ela entrou na sala de jantar.

Na frente dela estavam uma mesa, duas cadeiras, meio bolo comido, e um banner, que desejava sua filha um feliz aniversário.

Foi o quarto mais vazio do mundo.


"as cartas estão aqui!", Disse Spike. "Parece que os seus livros chegaram, Twilight."

"Òtimo!", Disse Twilight, descendo as escadas para Spike. "Como está Derpy? Você descobriu por que ela tirou o dia de folga? "

"Na verdade", disse Spike, "Não foi a Derpy. Rainbow Dash foi quem entregou as cartas hoje. Ela disse que o Pegasus vão se revezar entregá-la até que um carteiro novo seja escolhido. "

"Espere, o quê?"

"Sim ...", disse Spike. "Derpy ... se demitiu essa manhã. Parece que ela entrou no gabinete do prefeito com uma carta de demissão e depois voou para fora da cidade. "

"Isso é tão estranho ... ela ...", disse Twilight. "O que poderia ter acontecido?"

***

Era uma manhã completamente normal para Dinky,ela era unicórnio feliz. Ela estava apenas começando a aprender magia, e era popular com todos os outros pôneis em sua escola em Coltsburg. Desde que se mudou há um ano atrás, ela tinha feito muitos amigos e provou ser uma excelente aluna. Falou-se até mesmo em pular ela uma série . Havia apenas uma coisa peculiar sobre ela.


Todos os dias, Dinky deixava a escola ao segundo toque do sinal. Ela nunca voltou para casa com seus amigos, e ela nunca ficou para conversar com os professores. Em vez disso, ela corria para casa tão rápido quanto seus cascos poderiam levá-la, e esperava pacientemente em frente a caixa de correio.

Neste dia particular, o carteiro entregou-lhe uma carta como sempre fazia. Ela agradeceu-lhe alegremente, e depois foi pulado para dentro. Como era seu costume, ela colocou as cartas na mesa da cozinha, com exceça de uma coisa: um cartão-postal. Isso, ela levou para o seu quarto,com cuidado para não deixar seus pais verem.

Lá, ela abriu uma gaveta e tirou um set bem empilhados de cartões postais. Havia um para cada dia desde que ela tinha vindo para Coltsburg, e eles vieram de lugares diferentes em toda Equestria. Na parte de trás de cada um era um poema curto, um diferente para cada dia.

Dinky tirou seu cartão favorito, o primeiro que ela recebeu, e leu em voz alta:
“Eu queria poder ter

voce ao meu lado outro dia

apenas para poder lhe dizer

aquilo que voce ja sabia

lhe dizer que te adoro muito,

como cada coisa que eu fiz

foi apenas para poder dar-lhe

um belo final feliz.

Eu gostaria de poder ser inteligente

Eu gostaria de ser sábio

Eu poderia corrigir os erros

desses meus olhos engraçados


Mas a os muffins que eu adoro

não tem o mesmo gosto de antes

não é a mesma coisa

sabendo que estamos tão distantes.


Então, por favor não chore minha querida,

eu sei que parece ser duro

mas fique certa que eu fiz isso

porque eu acredito no seu futuro.

A única coisa que peço a você,

preste atenção nessas linhas:

jamais esqueça de mim,

Dessa forma, você sempre será minha. "


Dinky enxugou as lágrimas e colocou o novo cartão-postal no topo da pilha. Ela iria lê-lo naquela noite antes de dormir, como sempre fazia.

"Dinky" veio uma voz lá de baixo: "Você quer sair para tomar um sorvete?"

"Já estou indo, pai!", Ela gritou de volta.

Antes de sair da sala, ela virou-se para uma foto emoldurada em seu criado-mudo.

"Até logo, mamãe", disse ela. Seus olhos passaram aquela inscrição. Era como uma resposta silenciosa.

Era um dia completamente normal para Dinky,ela era unicórnio feliz

Introdução





olá pessoal aqui é o Arty(ou midnight como alguns conhecem) do blog sonic rainboom
eu estava outro dia olhando os blogs brasileiros de mlp e percebi q não há nenhum especializado nas fictions do desenho(com exceção do my little pony grimmdark(q não tem postagens a um tempo)

para quem não sabe eu adoro ler fictions e ainda mais traduzi-las


eu vou tentar fazer o maximo possivel para não deixar esse blog sem fictions(embora eu saiba que não é preciso muito pra isso, já q aparece uma fiction nova toda a semana)

bem... é isso. até a próxima postagem e até mais